Slash: "É surreal olhar pro lado no palco e ver o Axl"
08/01/2018 - 22h45 em Música

Durante participação no programa de rádio Sixx Sense, comandado por Nikki Sixx, baixista do Motley Crue e Sixx: A.M., Slash confirmou que não falou com Axl Rose durante 19 anos após sua saída do Guns N' Roses, mas que desde então ele vêm se emocionando com o que acontece nos palcos todas as noites que a banda se apresenta:

"Durante estes vinte anos, sempre houve o lance do mal estar da separação, mas ao mesmo tempo havia uma parte dentro de mim que era como um casamento onde você ama alguém e aquele sentimento persiste, mas há muita coisa negativa acontecendo. E sempre teve muita coisa ruim propagada pela mídia que tomou proporções além da conta. Então quando ele e eu nos falamos pela primeira vez (desde 1996) foi muito, muito legal".

Slash conta ainda que ele conversou com Axl pela primeira vez em 2015: "Foi pelo telefone, e então nos encontramos quando voltei para a cidade, pois eu estava na estrada - estava no Peru, lembro com detalhes. Foi uma catarse falando fisicamente, pois existia aquele vínculo que nunca havia sido rompido, e o vínculo tornava a coisa muito pior, me fazia fora de mim."

Depois o guitarrista comenta o primeiro show da reunião do trio (Axl, Slash e Duff McKagan), realizada no dia 1º de abril de 2016 no Troubadour de Los Angeles: "Foi absurdamente fantástico, superou as expectativas. Já se passaram 18 meses, e se você tivesse me perguntado sobre isto há vinte meses atrás eu diria 'Sem chance, nunca vai rolar'. Mas aconteceu, e foi maravilhoso".

Slash diz ainda que é "muito surreal" olhar ao lado no palco e ver Axl, que disse em uma famosa entrevista de 2009 para a Billboard que um dos dois morreria antes que uma reunião acontecesse. "Acontecem estes momentos no palco onde você meio que olha onde está e pensa 'Wow, isto é uma viagem!'. E o engraçado é que há algo nesta turnê em particular que não me leva ao passado, para a última turnê que fizemos nos anos noventa, o que acontece agora é algo completamente único em si mesmo. São os mesmos caras, as mesmas músicas, mas o conjunto da experiência é completamente diferente".

 

 

Por Bruce WilliamFonte: Blabbermouth

COMENTÁRIOS